09
ago
Entrevista com Adam Levine NY Post



Comportamento Exemplar

Aos 11 anos de idade Adam Levine já era um sucesso com as moças. Com Maroon 5, ele está impossível

Quando a voz aguda de Adam Levine ressoa, duas coisas acontecem: prêmios Grammy caem em suas mãos, e mulheres caem em seu colo. O frontman do Maroon 5, um mago com as mulheres desde o ginásio, já foi ligado romanticamente aos tipos de Jessica Simpson, Natalie Portman e Cameron Diaz. Sua peguete atual é a supermodelo Anne Vyalitsyna, uma das mais importantes das últimas edições de roupas de banho da Sports Illustrated. Levine e o Maroon 5 estão atualmente em turnê, adiantando músicas do próximo álbum “Hands All Over,” previsto para ser lançado no meio de setembro. A nova gravação, que já gerou o hit de Top 20 “Misery,” é uma solda eclética – que faz fusão de rock, R&B, jazz, hip-hop e soul. Falamos com Levine enquanto o grupo se prepara para tocar na praia Jones Beach na quarta-feira.

A web está cheia de anedotas de como o YMCA mudou sua vida. Confirma?
Eu tinha uns 6 anos. Eu ganhei numa partida de basquete do YMCA e tudo começou a mudar. Eu era um menino bem tímido, introvertido – peculiar e esquisito. Depois do jogo, comecei a ganhar confiança…me tornando otimista. É um daqueles eventos que realmente moldam sua pessoa.

Quando você personifica o Joe Elliot do Def Leppard?
Quando eu tinha 11 anos, foi numa festa de aniversário num lugar obscuro no vale [San Fernando] . Todas as crianças tinham que escolher uma música para dublar. Também colocamos nossas perucas de metal dos anos 80 e tocamos guitarras de brincadeira. Eu estava bem apreensivo e nervoso, mas cantei “Pour Some Sugar on Me” e todas as garotas se jogaram em cima de mim. Comprei uma guitarra logo em seguida porque eu sabia que o que eu ía fazer da minha vida.

Por qual outra razão um cara ía querer entrar no rock?
As pessoas tem uma idéia errada sobre isso. Caras não entram no ramo do rock ’n’ roll pelas garotas. Os caras que escrevem e tocam música antes de serem um sucesso são muito bobos para conseguirem garotas. Depois que ficam famosos e as garotas começam a os seguirem por todos os lados é quando a ação começa.

Vinte anos depois de sua performance de Def Leppard, garotas — na maioria modelos – ainda se jogam em cima de você.
Eu não tenho fetiche por modelos ou nada do tipo. É apenas um estranho fenômeno cultural – modelos e rock stars ficam. Não me importo se a garota é uma modelo, jogadora de softball ou uma cientista. É bem mais profundo que isso.

Eu gostaria de acreditar nisso, mas sua namorada atual não é apenas modelo, é uma supermodel. Como anda isso?
Muito bem. Ela é uma mulher incrível.

Você tem alguma queda em uma celebridade no momento?
Não mesmo. Eu já esfreguei os ombros em umas pessoas muito famosas e estou descobrindo que mais e mais delas são muito loucas – loucas de pedra. Acho que celebridades se tornaram verdadeiros problemas quando se tratam de relacionamentos.

O novo álbum mistura rock, rap, R&B, jazz e soul. Perdi alguma coisa?
Acho que pegou todos. O que acontece é, são cinco de nós e todos gostamos de gêneros diferentes de música. Uma coisa positiva que vem disso e que não soamos como mais ninguém. As pessoas ficam nervosas e vão tipo “Maroon 5 não é uma banda de rock.” Jura, nunca dissemos que éramos.

Vocês estão envolvidos em algumas colaborações bizarras. Como se juntaram com Lady Antebellum para a faixa “Out of Goodbyes”?
Todos adoramos country. Quando foi sugerido que fizéssemos algo com eles, nós recebemos a idéia de braços abertos. Isso é o que eu amo sobre nosso grupo e colaborações em geral. Enquanto é certo e combina você pode trabalhar com qualquer um. Não pode ser forçado. Somos uma banda estranha e louca. Quer dizer, quem colabora com Kanye West, os Ying Yang Twins, Lady Antebellum e Slash . . . tudo no mesmo ano?”

Fonte: NY Post e Maroon 5 BR

 

Comentários

  1. Anonymous disse:

    adam te amo …fui descobrindo aos poucos e agora estou apaixonada como podemos nos apaixonar por uma pessoa q nem conhecemos .bjs